A Pregação do Evangelho de Mateus

de Dennis Downing

 Existem diversos e bons motivos para se resolver estudar qualquer um dos quatro evangelhos. Cada um tem suas próprias qualidades e características salientes. Porém, há alguns motivos que especialmente recomendam o evangelho de Mateus. Estes são bem resumidos pelo professor e escritor evangélico R.V.G. Tasker na introdução do seu comentário sobre o evangelho de Mateus:

 

"Seria razoável supor que o 'primeiro' evangelho não tivesse recebido o primeiro lugar no Novo Testamento somente porque se considerou que ele incorporasse parte do mais antigo material evangélico a ser escrito. Ele era também o evangelho favorito dos escritores cristãos do século II, a julgar pela freqüência com que era citado pelos mesmos. De fato, como observou Wikenhausen, 'no tempo de Irineu a Igreja e a literatura cristãs foram influenciadas mais pelo Evangelho de Mateus do que por qualquer outro livro do Novo Testamento'.

 - (Tasker, R.V.G., Evangelho Segundo Mateus, Introdução e Comentário, São Paulo, Editora Mundo Cristão, 1988, p.13.)

 

Existem várias razões práticas pelas quais este evangelho era tão estimado pelos cristãos da igreja primitiva. Como qualquer igreja de hoje, eles precisavam de instrução sólida e básica e Mateus é rico neste sentido. Tasker cita algumas razoes fundamentais sobre a importância de Mateus na vida dos primeiros cristãos. Ele nota que o evangelho de Mateus:

 

"...proveu a Igreja de um instrumento indispensável em sua tríplice tarefa de defender suas crenças contra os ataques dos oponentes judeus, instruir os convertidos do paganismo nas implicações éticas da sua nova religião e ajudar seus próprios membros a viver uma vida comunitária disciplinada, baseada nos atos e palavras do Senhor e Mestre, instrumento este cuja leitura era ouvida semanalmente na forma ordenada e sistemática provida por este evangelista." (Tasker, p.13-14).

 

Como acabamos de ver, o evangelho de Mateus é uma obra dinâmica em sua habilidade de tratar várias necessidades imediatas e atuais da nossa própria época. Ele faz isso tanto em termos do cristão como indivíduo como em termos da comunidade maior da igreja.

 

Uma das características salientes deste evangelho é justamente a última mencionada por Tasker, a de ser uma obra escrita numa maneira "ordenada e sistemática". Mesmo fazendo uma leitura superficial deste evangelho, é bem óbvio o quanto esta obra é proveitosa para uso em ensinamento público. O tão conhecido "sermão do monte" (Mat. 5:1-7:29) oferece vários ensinamentos concretos sobre os benefícios e também as obrigações dos que querem fazer parte do Reino de Deus. A maneira dinâmica e ao mesmo tempo sistemática em que este ensinamento é realizado - deixa poucas dúvidas de que era originalmente destinado a ser transmitido aos próprios membros da igreja de uma maneira que aproveita estas características do evangelho.

 

Quando juntamos estas observações com o fato de que, segundo a história, este evangelho era aparentemente ensinado justamente deste modo, temos uma forte motivação para aproveitar a utilidade deste evangelho para a igreja de hoje. Contudo não queremos deixar a impressão de que o evangelho de Mateus é mais importante do que qualquer outro evangelho ou carta ou livro das Sagradas Escrituras. Como o apóstolo Paulo disse, "Toda escritura é inspirada por Deus..." e também útil para os membros e a igreja toda. Porém, queremos começar aproveitando um aspecto da Palavra do Senhor que ás vezes é ignorada, o qual é utilizá-la e entenda-la da maneira em que foi originalmente escrita e assim transmitida.

 

Em tudo isso convidamos a todos os irmãos a aproveitarem os beneficias de um estudo sistemático de um dos evangelhos. Todos vão poder estudar o mesmo material e todos vão saber, de modo geral, qual vai ser a passagem e o assunto da próxima pregação.

 

Este tipo de estudo também vai levar todos os que vão pregar a se disciplinar no seu próprio estudo, para que no máximo deixemos a Escritura Inspirada resolver qual vai ser o

assunto e a conclusão da lição dada à igreja, e assim esperamos evitar enfatizar ou de menos ou demais qualquer uma das várias necessidades espirituais da igreja.

 

Seqüência de Perícopes no Evangelho de Mateus 1-7

 

perícope: [Do gr. pericopé, 'ação de cortar em volta', 'sessão'.] ..."trecho da Bíblia escolhido para leitura durante o culto, ou como tema de sermão." (Novo Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa, 2a edição, 1986)

 

Para facilitar a pregação do evangelho de Mateus oferecemos como sugestão a seguinte seqüência de perícopes. Estes trechos da Bíblia foram escolhidos visando ensinamentos, acontecimentos, ou pensamentos que refletem uma clara integridade em si, ou seja, partes do evangelho que podem ser estudadas independentemente do resto da passagem em que se acham. É claro que cada passagem da Bíblia precisa ser estudada e apresentada dentro do seu próprio contexto. Porém, para fazer isto é necessário definir a passagem dentro do próprio contexto, esclarecendo seu inicio, fim e conteúdo. 

 

A seguinte seqüência segue de modo geral a maioria das traduções e comentários do evangelho de Mateus. Se for pregada uma passagem por domingo, em um ano a igreja terá seguida a introdução do Evangelho de Mateus e todo o Sermão do Monte. Há ainda uma outra forma de pregar o Evangelho de Mateus no documento Mateus_1_ano.pdf encontrada na página de Mensagens do www.hermeneutica.com.br

 

Pregando o Evangelho de Mateus em 1 Ano

Introdução e Sermão do Monte