Alegria Verdadeira
Uma pregação baseada em Lucas 10:1-20
de Dennis Downing

Leia Lucas 10:1-20
Eis que eu vos envio como cordeiros para o meio de lobos. Não leveis bolsa, nem alforje, nem sandálias; e a ninguém saudeis pelo caminho. Ao entrardes numa casa, dizei antes de tudo: Paz seja nesta casa! Se houver ali um filho da paz, repousará sobre ele a vossa paz; se não houver, ela voltará sobre vós...
... Então, regressaram os setenta, possuídos de alegria, dizendo: Senhor, os próprios demônios se nos submetem pelo teu nome! Mas ele lhes disse: Eu via Satanás caindo do céu como um relâmpago. Eis aí vos dei autoridade para pisardes serpentes e escorpiões e sobre todo o poder do inimigo, e nada, absolutamente, vos causará dano. Não obstante, alegrai-vos, não porque os espíritos se vos submetem, e sim porque o vosso nome está arrolado nos céus.

v.1 Por que Jesus enviou o discípulos "de dois em dois"?

v.4 Por que Jesus os proibiu de levarem “bolsa, alforje, sandálias”, etc.?
Será que foi para que eles pudessem depender mais de Deus?

Por que Jesus deu instruções tão detalhadas?
Por que tanta exigência?

Você considera Jesus um estrategista?
Por que Jesus queria que os discípulos seguissem todos os detalhes que Ele estava dando?

Qual foi o resultado de seguir as instruções de Jesus?
O que foi que mais impressionou os discípulos?

Será que Jesus ficou feliz com os resultados?

vv. 17-20
Então, regressaram os setenta, possuídos de alegria, dizendo: Senhor, os próprios demônios se nos submetem pelo teu nome!
Mas ele lhes disse: Eu via Satanás caindo do céu como um relâmpago. Eis aí vos dei autoridade para pisardes serpentes e escorpiões e sobre todo o poder do inimigo, e nada, absolutamente, vos causará dano. Não obstante, alegrai-vos, não porque os espíritos se vos submetem, e sim porque o vosso nome está arrolado nos céus.

Se você fosse um dos discípulos, como você teria se sentido com as palavras de Jesus em v. 20? "alegrai-vos, não porque os espíritos se vos submetem, e sim porque o vosso nome está arrolado nos céus."

O que significa para você ter seu nome “arrolado nos céus”?
- Um significado é estar em comunhão com Deus.

Qual o ponto de Jesus neste alerta?
Qual o perigo que Jesus viu na reação dos discípulos?

Por que Jesus falou sobre a queda de Satanás?
O ponto de Jesus parece ter sido que, quanto à manifestações de poder, Ele já havia visto coisas bem mais impressionantes. Mas, a principal não era a queda de Satanás, e sim seu afastamento de Deus.

Ou, seja, demonstrações de poder, grandes resultados, até respostas à oração são importantes e devem ser reconhecidos.

Mas, não há nada mais importante do que estar pessoalmente bem relacionado com Deus.

É por isso que Jesus fala com tanto vigor sobre a condenação de cidades como Corazim, Betsaida, e Cafarnaum.

O importante não é os milagres realizados lá, embora deveriam ter atendido aos sinais.
O que mais chamou a atenção de Jesus foi que eles não se arrependeram, e por isso serão também afastados de Deus.

Grandes milagres, ou realizações de poder, grandes prédios ou obras sociais, não significam nada para Jesus, se pessoas não estiverem se aproximando pessoalmente do Senhor.

Não adianta expulsar um demônio se a pessoa depois perde a sua salvação.
Existe algum perigo semelhante na sua vida ou no seu serviço ao Senhor?

Para você, o que lhe dá mais satisfação, mais alegria?
- Seguir um bom plano para o crescimento da igreja?
- Ver os outros irmãos concordando com suas idéias?
- Ver a igreja crescendo de forma visível, alcançando crescimento numérico, espiritual, econômico, etc.?
- Ver muitos se convertendo?
- Estar perto (você, pessoalmente), de Deus?

Qual o perigo de dar mais importância aos resultados do nosso trabalho do que ao nosso próprio relacionamento com Deus?

Mateus. 7:22-23 Esta passagem tem algo a ver com o ponto de Jesus em Lucas 10:20?

"Muitos, naquele dia, hão de dizer-me: Senhor, Senhor! … e em teu nome não expelimos demônios … Então, lhes direi explicitamente: nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniqüidade."

Estas pessoas tinham grandes obras?
Tinham bons resultados?
Obtiveram êxito no seu ministério?

Qual foi o problema?
Falta de relacionamento com Jesus.

Souberam de Jesus. Evidentemente, creram em Jesus e pregaram sobre Jesus.
Fizeram obras em nome de Jesus.
Aparentemente tinham o reconhecimento dos homens de serem grandes servos de Jesus.
Mas, não conheciam Jesus.
Porque Jesus nem tampouco os conhecia.

No seu ministério, qual a importância do seu relacionamento pessoal com Deus?
Você já parou para comparar a quantidade de tempo, energia e esforço que você coloca em seu ministério ou atividades de serviço Cristão com o tempo e energia gastos em oração e reflexão na Palavra?

"Nossa alegria maior deve ser, não que tenhamos certos dons ou habilidades, mas, que Deus nos recebeu e nos aceitou, que nossos nomes estão 'arrolados nos céus'." - Fred B. Craddock, Comentário de Lucas, p. 147

"Jesus Cristo diz, com efeito, Não se regozijem com serviço bem sucedido, mas regozijem-se porque vocês estão bem relacionados comigo. A armadilha em serviço Cristão é de se alegrar em serviço bem sucedido, de se alegrar com o fato que Deus lhe usou.

Você nunca pode medir o que Deus pode fazer através de você se você for bem relacionado com Jesus Cristo. Mantenha seu relacionamento com ele em forma, daí qualquer circunstância em que você se vir, e com qualquer pessoa que você se encontre, Ele estará derramando rios de água viva por meio de você. E, é pela misericórdia dEle que ele não lhe deixa saber." - Oswald Chambers "Tudo Para Ele"

Um dos maiores focos das nossas vidas é nosso desempenho ministerial.
Tentamos ser fiéis no ministério e esperamos ver bons resultados.

Mas, vamos tomar cuidado para que um bom desempenho no ministério ao Senhor não tome o lugar de um bom relacionamento com o Senhor de todos os ministérios.

Chambers também observou:
“A necessidade básica do missionário é que ele permaneça fiel ao chamado de Deus e compreenda que seu único objetivo é fazer discípulos para Jesus. Existe um anseio de ganhar almas que não tem origem em Deus, mas no desejo de conquistar pessoas para o nosso ponto de vista..”

Não é bom ver pessoas se convertendo?
É tão bom ver a igreja ou o grupo ou o ministério em que participamos crescendo.

Ficamos entusiasmados vendo homens e mulheres concordando com os ensinamentos da Bíblia.
Mas, qual a verdadeira fonte da nossa alegria?

Será que estamos felizes porque eles estão se convertendo para Jesus, ou porque eles estão concordando conosco?
Se formos honestos e sinceros, será que não podemos ver que há um desejo humano dentro de nós de ter outras pessoas concordando conosco?

Será que é possível que, entusiasmados com a alegria de ver pessoas se convertendo e seguros de que tudo que estamos ensinando é certo, pode acabar sendo difícil para nós examinarmos com humildade as Escrituras?

Isto não seria o mesmo erro dos Fariseus? Parece que o problema fundamental deles era que eles começaram a se preocupar mais com os homens concordarem com eles do que eles concordarem com Deus.

Eles confundiram seu entendimento da Palavra de Deus com o próprio Deus.
Será que nós podemos cair no mesmo erro?

João 8:31-32
“Disse, pois, Jesus aos judeus que haviam crido nele: Se vós permanecerdes na minha palavra, sois verdadeiramente meus discípulos; e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.”

Tradicionalmente, entendemos “a verdade” aqui como quê?
- A verdade sobre Jesus
- A verdade sobre a salvação
- A verdade sobre a igreja
- A Bíblia em si, ou algo parecido.

O fato é que “a verdade” aqui se refere não a uma coisa, nem a um conjunto de fatos ou ensinamentos. A verdade aqui se refere a uma pessoa - Jesus.

O que é que ele disse que esta verdade faria? - libertar.
João 8:36, poucos versículos adiante, mostra Jesus retornando a este tema e mostrando que aquilo que liberta é Ele mesmo

João 5:39-40
Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de mim. Contudo, não quereis vir a mim para terdes vida.

É errado ler e estudar a Bíblia? Claro que não!
É possível ler e estudar a Bíblia e não conhecer Jesus? Evidentemente que sim!

Jesus está falando aqui com as pessoas que mais conheciam as Escrituras nos seus dias.
Estes homens conheciam Jesus?

É possível ler e estudar a Bíblia e não conhecer Jesus?
Tudo indica que foi isso mesmo que aconteceu com aqueles que mais estudavam as Escrituras nos dias de Jesus.

Será que é possível hoje crer e depender na Bíblia e não crer e depender de Jesus?
Sua fé é baseada no seu conhecimento da Palavra ou no seu relacionamento com O Verbo?

Ao ensinar outras pessoas, ou trocar idéias com discípulos de Jesus que pensam ou agem de forma diferente, qual o nosso objetivo?
Ganhar o argumento?
Convertê-los?

Será que não é bom também ouvir e refletir, e estarmos abertos à possibilidade de que talvez ainda tenhamos algo a aprender sobre Jesus?
O que seria mais importante para você, saber todos os fatos sobre o Filho de Deus, ou estar bem relacionado com Ele?

Aparentemente, quando Jesus andou aqui na terra, seus encontros com os homens que mais conheciam “os fatos” sobre Ele não teve bons resultados.

Enquanto isso, seu tempo com homens “iletrados e incultos” (Atos 4:13) foi uma maravilha. Por quê? Porque andavam com Ele, conviviam com Ele, passavam a maior parte do seu dia na presença dEle. O que é mais importante para você?
Onde você está investindo seu tempo e esforços hoje?

É bom termos confiança naquilo que ensinamos ou pregamos.
Mas, é bom também estarmos abertos para que Deus possa nos ensinar ainda mais. E, sobretudo, é bom estarmos bem relacionados com Jesus.

Oswald Chamber também notou: “Quando nos tornamos defensores de uma crença, alguma coisa morre; não acreditamos em Deus, acreditamos apenas em nossa crença a respeito dele. Jesus disse: ‘Se não vos... tornardes como crianças.’ A vida espiritual é como a vida de uma criança. Não estamos incertos quanto a Deus, mas incertos quanto ao que ele vai fazer em seguida.

Se estivermos certos apenas de nossas crenças, nós nos tornaremos arrogantes e rigorosos, e seremos inflexíveis em nossas opiniões; mas, quando estamos corretamente relacionados com Deus, a vida se enche de expectativa e de uma espontânea e alegre incerteza.

‘Crede também em mim’, disse Jesus; ele não disse: ‘Acreditai em certas coisas a meu respeito.’ Deixemos tudo com ele; a maneira como ele agirá é gloriosamente incerta, mas ele agirá. Permaneçamos leais a Ele." - Oswald Chambers "Tudo Para Ele" Belo Horizonte: Editora Betânia, 1988,

Que possamos estar bem relacionados com Jesus, intimamente, profundamente. E que este relacionamento seja a fonte da nossa alegria e a bússula para os nossos planos e nosso serviço ao Senhor.

Ao ouvirmos a Palavra do Senhor, quer seja num estudo pessoal, do púlpito numa pregação na igreja que frequentamos, ou de outro seguidor de Jesus, de outra igreja, que sejamos humildes e abertos o suficiente para que o Verbo possa sempre falar conosco. Que possamos sempre ouvir quando o Senhor fala conosco.

Quer seja nosso serviço ao Senhor notável por grandes obras ou números impressionantes, ou por ações discretas e insignificantes ao olho humano, que possamos nos contentar naquilo que Ele é para nós e não naquilo que nós sejamos para Ele, e muito menos para qualquer homem. Que Cristo, e nosso relacionamento com Ele, sejam tudo para nós. E que as palavras de Paulo possam ser nossas: “considero tudo como perda, por causa da sublimidade do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; por amor do qual perdi todas as coisas e as considero como refugo, para ganhar a Cristo”. (Filipenses 3:8) Amém.

Veja também “"O Caminho da Cruz"”.


  Copyright © 2011 Dennis Downing. Todos os direitos reservados. Reprodução só com permissão por escrito.